Vermelho escreve-me adensamente

Vermelho escreve-me adensamente no corpo criado pelo sorriso de uma flor

sábado, 26 de dezembro de 2009

Aqui

Querer estar aqui. Isso já é o bastante para mim.
Sentir isso que está pulsando e cada vez mais forte me chamando pra dançar.
E eu vou. E danço, danço, danço...
Quantas vezes me chamarem estarei lá,
minhas veias borbulhantes, meu sangue fervendo e correndo dentro de mim.

Essa doce contenção de transbordar.
Isso é tudo que me move agora.

Rodopiar no meio do salão e verter sangue em mim mesma....

2 comentários:

Louise disse...

"Essa doce contenção de transbordar", lê-se Madya. Acho que não há palavras tão certas quanto estas para te descrever.
Te cuida, feiosa :*

Jonathan disse...

Sua escritura sempre foi muito forte. Ótimo!